Comissão cria formulário para novos alunos nas creches em 2016

A Comissão de Mobilização das Creches da USP criou um formulário para fazer um levantamento da demanda de novos alunos para o próximo ano letivo (2016).

O objetivo é identificar quantas vagas são necessárias para atender toda a comunidade USP, nos quatro campi que oferecem o serviço e, assim, fortalecer a luta pela reabertura das vagas fechadas em 2015 e o total preenchimento das novas, com a saída de alunos no final do ano.

Os pais que preencherem o formulário também ficarão a par das negociações e ações realizadas pela comissão e as novidades que surgirem nessa questão.

O formulário, que é voltado somente para novos alunos, não significa uma inscrição oficial ou garantia de acesso a um processo seletivo. É somente um levantamento das necessidades da comunidade e uma forma de informar pais da demanda do andamento da reabertura de vagas.

Acesse o link abaixo e preencha.

https://docs.google.com/forms/d/1t4920f9dNjTpUJG4YMVi6gHzr_7WeL0z2NtE8gdEL54/viewform?c=0&w=1&usp=mail_form_link

USP não convence e MP vai aprofundar investigação sobre creches

O Ministério Público de São Paulo vai aprofundar a investigação sobre o fechamento de vagas nas creches/pré-escolas da USP, depois de receber explicações da universidade que não convenceram. A gestão da universidade será chamada para reunião na sede do Geduc (Grupo de Atuação Especial em Educação) e deverá prestar novos esclarecimentos sobre o caso.

O promotor João Paulo Faustinoni e Silva, do Geduc, informou nesta quinta-feira (13/8) que recebeu ofício com explicações da universidade, mas que as considerou parciais. Mais uma vez a gestão da USP alegou que sofre restrição orçamentária, que promoveu plano de demissão voluntária que desfalcou o quadro de funcionários e que não teria condições de repor as crianças que deixaram as creches em 2014 para “manter a qualidade”.

Faustinoni recebeu integrantes da Comissão de Mobilização das creches, composta por pais e mães de alunos das creches, funcionários e um pai da demanda que foram levar novas informações à Peça de Informação instaurada pelo Geduc.

A universidade omitiu que foi apresentado plano de contingência pela direção de cada uma das creches, pelo qual seria possível atender 89 crianças desde o início de 2015, mesmo sem novos funcionários e sem prejuízo dos padrões de atendimento. Esse é um dos pontos que o promotor quer esclarecer.

A intenção do promotor também é chamar um representante da Reitoria para reunião com a participação de representantes da mobilização em defesa das creches, conforme adiantou nesta quarta-feira, no encontro com a Comissão de Mobilização das Creches. A ideia é também incluir na discussão o processo seletivo de crianças para ingresso nas creches em 2016.

A Reitoria da USP, por intermédio da SAS (Superintendência de Assistência Social), fechou 141 vagas das creches no início deste ano. Isso representa cerca de um quarto das vagas existentes nas cinco unidades. Neste começo de segundo semestre, a Reitoria deixou de abrir seleção para reposição das crianças que vão deixar as creches, sinalizando para novo fechamento de vagas para 2016.

Universidades da capital negociam criação de creches

Creche puc

Enquanto a maior universidade da América Latina tenta fechar suas cinco creches, extinguindo vagas e não repondo funcionários, as demais universidades da capital paulista estão promovendo esforços para abri-las. A Uninove já fechou parceria com a prefeitura de São Paulo para abrir cinco unidades.

Leia reportagem do portal G1 sobre o assunto no link abaixo. Infelizmente, a reportagem não cita o drama de pais e funcionários da USP que desde o início deste ano vem observando o desmonte das cinco instituições de ensino, algumas com mais de 30 anos de serviços prestados à comunidade. Centenas de funcionárias, professoras e alunas puderam trabalhar e estudar ao longo desses anos com a confiança de que seus filhos estavam sendo bem cuidados nas proximidades. Além disso, a proximidade tem garantido a amamentação da maioria dos bebês matriculados.

Veja o link:

https://crechecentraluspcom.wordpress.com/2015/03/26/usp-tenta-acordo-sobre-creches-com-prefeitura-mas-negociacao-nao-evolui/

A reportagem cita a informação de que um terreno pertencente a USP, localizado na avenida Corifeu de Azevedo Marques será fornecido para a Prefeitura de São Paulo. Segundo informações obtidas pela Comissão de Mobilização das Creches da USP diretamente com representantes da Secretaria de Educação e da Diretoria de Ensino do Butantã, no local serão construídas uma CEI e uma EMEI para a comunidade do Butantã e imediações, não tendo nenhuma relação com a USP.