APG capital realiza hoje reunião e inclui creches na pauta

A Associação dxs Pós-Graduandxs da USP Capital realizará hoje sua primeira reunião aberta após a eleição da nova coordenação. O desmonte das creches está na pauta do encontro.

A reunião ocorrerá às 18h na sede da APG (ao lado do bandejão central) do campus USP Butantã.

Também serão discutidos outros pontos importantes como o fechamento dos bandejões e terceirização, as mudanças no Estatuto sem a Estatuinte através do C.O. e estratégias de apoio à luta dos estudantes secundaristas.

Mais informações no Facebook:

www.facebook.com/events/605545519584972

Governador de SP encolhe ainda mais orçamento para Educação

O Estado mais rico da federação continua a dar maus exemplos no setor de Educação. Depois de suas universidades se endividarem além da conta, ter notas medíocres em provas de desempenho nacionais, e sofrer com o recente fechamento de escolas, agora é a vez de o governador do Estado diminuir ainda mais o Orçamento do Estado voltado à Educação.

Veja link abaixo:

http://educacao.estadao.com.br/noticias/geral,alckmin-reduz-participacao-da-educacao-no-orcamento-pelo-2-ano,10000003217

É importante lembrarmos que a crise atual que a USP vive tem ligação direta com o governo do Estado. O Conselho Universitário elege três candidatos, formando uma lista tríplice. O governador é quem escolhe, entre os três nomes mais votados quem ocupará o cargo. Em 2009, o então governador, José Serra, escolheu o candidato que ficou em segundo lugar, João Grandino Rodas. O atual reitor, Marco Antonio Zago, primeiro lugar na eleição e pró-reitor de Pesquisa da gestão Rodas, foi indicado por Alckmin.

Enquanto USP fecha vagas, Unicamp e Unesp mantêm creches funcionando

A USP, maior universidade da América Latina, está fechando seus centros de ensino, pesquisa e extensão na área de Educação Infantil enquanto as demais universidades estaduais paulistas, Unicamp e Unesp, mantêm os seus funcionando plenamente.

Unicamp e Unesp mantêm várias unidades, todas voltadas para o atendimento de filhos de alunos, docentes e funcionários, e não pretendem dar passos para trás em um setor tão importante.

Conheça as unidades de ambas nos links abaixo:

Unicamp, campus Campinas
http://www.dgrh.unicamp.br/dedic/ceci

Unicamp, campus Campinas (Saúde)
http://www.dgrh.unicamp.br/dedic/cas

Unesp, campus São José do Rio Preto
http://www.ibilce.unesp.br/#!/administracao/cci/

Unesp, campus Botucatu
http://www.btu.unesp.br/#!/cci—centro-de-convivencia-infantil/

Unesp, campus Araraquara
http://www.foar.unesp.br/#!/cci/nossa-historia/

Unesp, campus Ilha Solteira
http://www.feis.unesp.br/#!/instituicao/administracao/dtadm/centro-de-convivencia-infantil/atendimento/

Unesp, campus Bauru
http://acifaacunesp.com/2013/12/06/conheca-o-gente-miuda-o-centro-de-convivencia-infantil-de-unesp-de-bauru/

Reitor esconde a verdade sobre custos e pesquisas nas creches

O professor José Renato de Campos Araújo, da EACH-USP, representante dos professors-doutores no Conselho Universitário (CO), questionou o reitor sobre os custos das creches da USP na última reunião do CO, realizada no dia 10 de novembro.

O reitor vem tentando justificar o fechamento das creches usando argumentos como o de que elas são “caras” e não realizam atividade-fim (ensino, pesquisa e extensão). Essas informações não correspondem à verdade.

Bem, vamos aos fatos.

Segundo relato do professor José Renato em seu blog, o reitor disse que: “a USP gasta anualmente R$ 24 milhões com as creches da USP, enquanto dispende outros R$ 22 milhões com o pagamento do auxílio-creche a docentes e funcionário administrativos”.

Na verdade, os custos das creches não passam de R$ 1,8 milhão por ano, como mostram as tabelas do orçamento da USP disponíveis no site da Coordenadoria de Administração Geral da USP. Isso inclui alimentos, materiais de escritório, material didático, equipamentos, brinquedos, manutenção. O restante ao qual ele se refere é relativo ao pagamento de funcionários, que continuarão a ser pagos a menos que o reitor decida demitir todos de uma vez.

Portanto, se todas as creches forem fechadas hoje, a USP pouparia pouco mais de 1 milhão por ano, pois ainda teria de pagar auxílio-creche para todos os filhos de funcionários e docentes que se encontram nelas (R$ 596,96 por mês, por filho). Como o orçamento da USP é de cerca de R$ 5 bilhões, o fechamento das creches não refrescaria em nada o caixa da universidade.

No ano que vem, as creches também receberão recursos para a compra de alimentos, via governo federal, e ainda vem recebendo outros benefícios do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE), em várias modalidades.

Ao mesmo tempo, as creches da USP são premiados centros de pesquisa e extensão de educação infantil e reconhecidos nacionalmente. Têm atuado como modelo para unidades de vários Estados. Educadores de todo o pais fazem visitas monitoradas para as creches da USP.

Além disso, são campo e laboratório para pesquisas realizadas por discentes e docentes da própria USP, principalmente para áreas tão distintas como Educação, Psicologia, Enfermagem, Nutrição, Letras, Fonaudiologia, Fisioterapia, Odontologia, Medicina, Engenharia Mecatrônica, entre outros.

Ou seja, as creches da USP se enquadram em todas as atividades-fim, assim como não custam quase nada aos cofres da universidade.

Veja o relato do professor José Renato em seu blog:

http://representadoutoresusp.blogspot.com.br/2015/11/caros-colegas-faco-este-novo-post-para.html

Pergunte à Ouvidoria da USP sobre as creches

Como a comunidade uspiana não tem tido respostas claras sobre o funcionamento das creches em 2016, sobre a reabertura ou não de vagas, sobre o possível fechamento delas, sobre o futuro dos professores, funcionários e alunos que compõem todos os estabelecimentos de educação infantil da universidade, muitos pais estão recorrendo à Ouvidoria da universidade.

Segundo o site da ouvidoria da USP, ela seria “uma instância informal, neutra e independente à qual membros da comunidade uspiana e os cidadãos em geral que não se considerarem atendidos de forma satisfatória pelos canais usuais podem recorrer para fazer sugestões, reclamações, denúncias e discutir problemas relativos às atividades e funções da Universidade”.

Saiba mais sobre a Ouvidoria no link abaixo:

http://sites.usp.br/ouvidoria/

Entre em contato e faça sua pergunta ou crítica à Ouvidoria no link abaixo:

http://www5.usp.br/institucional/a-usp/ouvidoria/fale-com-a-ouvidoria/

É hoje, às 18h, reunião no Sintusp com advogados para falar sobre creches

Hoje, segunda-feira, dia 23, às 18h, será realizado no Sintusp um encontro com membros do sindicado dos funcionários da USP, pais e mães sem creche e advogados.

O objetivo é criar ações conjuntas, especialmente na Justiça, para a reabertura das vagas que foram extintas pela USP nas creches da universidade.

O encontro será realizado na sede do Sintusp, na “prainha” da ECA.

A Comissão de Mobilização de Pais, Mães e Funcionários das Creches da USP vem realizando uma série de encontros com entidades representativas da USP, advogados e interessados em vagas para seus filhos

Aqueles que, por motivos diversos, não puderem comparecer e não estão no grupo de e-mails dos pais e mães funcionários sem creche, entre em contato com a comissão pelo e-mail maroboga@gmail.com. Mães e/ou pais estudantes, falar com chicobarros@usp.br. Mães e/ou pais professores, com ramiropsm@gmail.com.

Mãe da Central pede abertura de novas creches em carta para a Folha

A Folha de S. Paulo publicou no último dia 19 de novembro reportagem sobre a falta de creches na cidade de São Paulo. A falta de vagas colocou mais de 150 mil crianças na fila.

Veja a íntegra da reportagem no link abaixo:

http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2015/11/1708307-fila-para-conseguir-vaga-em-creche-de-haddad-chega-a-ate-840-dias.shtml

Uma mãe da creche Central escreveu para o jornal reclamando da tentativa de fechamento das creches da USP e pedindo a abertura de novas unidades. A carta foi publicada no dia seguinte, dia 20 de novembro, no Painel do Leitor.

Leia a carta no link abaixo:

http://www1.folha.uol.com.br/paineldoleitor/2015/11/1708811-temos-de-abrir-mais-creches-e-nao-fecha-las-afirma-doutora-da-usp.shtml