Instituto de Oceanografia defende creches em moção enviada ao Reitor

Em reunião ordinária realizada no dia 8 de março, o Instituto de Oceanografia (IO) da Universidade de São Paulo deliberou, por ampla maioria, por apoiar o Projeto de Educação Infantil da USP.

A moção, assinada pelo diretor do IO, Frederico Pereira Brandini, afirma que o Instituto decidiu encaminhar ao Reitor “manifestação favorável da Congregação quanto à manutenção do serviço de Creches na Universidade, em que se pese o cenário financeiro da Universidade”.

O IO recebeu uma comissão de pais e funcionários que explicou as atividades relativas a ensino, pesquisa e extensão desenvolvidas pelas creches da USP.

 

 

Professora da Creche Central defende tese de doutorado

As Creches/Pré-Escolas da USP são um profícuo espaço para pesquisas de campo. Hanna Araújo, professora da Creche Central, no campus Butantã, defendeu, em janeiro passado, a tese “Processo de criação e leitura do livro de imagem: interlocuções entre artistas e crianças”, no Instituto de Artes da Unicamp. Além da tese, a pesquisadora publicará duas histórias como livro de imagens.

Hanna realizou pesquisa de campo com crianças que frequentam a Creche Central e pode acompanhar cotidianamente a construção dos dados durante um semestre. Ela ainda foi agraciada com uma bolsa de doutorado-sanduíche da Capes, para frequentar a Université Paris-Ouest Nanterre la Défense.

Hanna apresentou às crianças livros que continham apenas imagens. Sua pesquisa mostrou que elas “são bastante habilidosas na leitura da imagem e que a despeito de seus repertórios mais restritos em relação aos adultos, elas dispõem-se de maneira mais intensa para a construção dos significados”.

Ainda, segundo Hanna Araújo, “nas leituras das narrativas visuais, elas levantavam possibilidades de sentidos, discutiam a pertinência, realizavam aproximações com o cotidiano. Nos momentos de leitura coletiva realizavam negociações de significado para cada imagem e com o conjunto para que coletivamente construíssem o sentido da obra”.

A professora e recém-doutora vem aplicando na Creche Central suas experiências e conhecimentos adquiridos no doutorado, assim como em suas visitas a creches francesas.

Mas Hanna, assim como as demais educadoras das creches da USP, é considerada técnica e não professora de Educação Infantil como define a lei complementar 1.202, aprovada pela Assembleia Legislativa e sancionada pelo governador Geraldo Alckmin em 2013. Ou seja, há quase três anos a maior Universidade da América Latina se recusa a obedecer a lei.

A tese ainda não se encontra disponível no site http://www.bibliotecadigital.unicamp.br. O contato de Hanna é mailprahanna@gmail.com.

 

VITÓRIA: Justiça garante em primeira instância filha de pós-doc em creche de Piracicaba

 

Uma mãe pós-doc da Esalq, campus da USP de Piracicaba, obteve decisão em primeira instância que garante a vaga de sua filha.

A menina, que hoje tem 1 ano e 4 meses, participou do processo seletivo em novembro de 2014, e ficou na lista de espera. A vaga surgiu no segundo semestre de 2015. A criança, contudo, foi barrada pela USP.

A mãe entrou com ação judicial e obteve uma liminar, que foi cassada 15 dias depois. No entanto, antes mesmo de receber a notificação, a Prefeitura do Campus – que é responsável pela creche de Piracicaba– e a USP não contestaram as informações que a família havia apresentado à justiça.

No dia 1 de fevereiro passado, o juiz responsável pelo caso deu ganho de causa para a criança em primeira instância. No dia 3 de março, após não ocorrer contestação por parte da prefeitura da Esalq e por parte da USP, a ação foi considerada julgada.

Ao mesmo tempo, há duas representações iniciadas por pais de Piracicaba no Ministério Público Estadual a fim de solicitar: a inserção de todas as quatro crianças recusadas em 2015, a realização de um processo seletivo para 2016 e o cumprimento da lei complementar Profei. As representações geraram um inquérito civil que está em trâmites de investigação pela Vara da Infância e Juventude.

 

Unicamp investe em creches com curso para seus professores

Enquanto a reitoria da USP, maior universidade da América Latina, tenta fechar suas creches, eliminando vagas e fazendo com que professores e equipamentos fiquem ociosos, a Unicamp parte para o lado oposto. A universidade localizada em Campinas abriu um curso, em modalidade de extensão: “Educação de Crianças e Pedagogia da Infância”. O curso é voltado para 40 professores do sistema de educação infantil da universidade.

O reitor da Unicamp, José Tadeu Jorge, afirma que a realização do curso é a continuidade de um processo iniciado em sua gestão, que interrompeu uma operação de desmonte da educação infantil que vinha em curso na universidade.

É bom lembrar que a Unicamp tem os mesmos problemas orçamentários que a USP. Mas a gestão tem se mostrado mais talentosa e inteligente ao lidar com a questão. O reitor da USP, ao contrário, vem jogando dinheiro publico no lixo ao esvaziar suas cinco creches, que poderiam estar atendendo pelo menos o dobro das crianças que recebe atualmente.

Leia mais sobre o curso no link abaixo:

http://www.unicamp.br/unicamp/noticias/2016/02/26/professoras-da-dedic-unicamp-comecam-especializacao-na-faculdade-de-educacao#!prettyPhoto

VITÓRIA: Juiz de São Carlos concede nova liminar em favor de mãe sem creche

A Justiça deu nova vitória para pais e mães dos campi do interior da USP que lutam por uma vaga nas creches da universidade. Desta vez, uma mãe pós-doc obteve liminar para que seu filho frequente a creche do campus da USP local.

O juiz José Luiz Ferrezini acolheu os argumentos de que a SAS promete, tanto em seu site como no manual dos candidatos da Fuvest, vagas para docentes, discentes e funcionários da universidade nas creches.

Segundo a decisão, “não se pode compelir a requerida [USP] a ofertar mais vagas ou mais creches, mas, pode, sim, obrigá-la a honrar as obrigações que assumiu, tanto do ponto de vista institucional, como educacional”.

As duas últimas decisões de São Carlos foram obtidas pela advogada Alice Ferreira, do escritório Novaes Ribeiro & Ferreira Advocacia e Consultoria. A criança que obteve liminar em decisão anterior já se encontra frequentando a creche de São Carlos.