Faculdade de Educação receberá ciranda pró-creches amanhã

Famílias, funcionários, crianças e demais simpatizantes da continuidade do programa de Educação Infantil na USP estão convidados para realizar mais uma ciranda no campus Butantã. Desta vez, ela acontecerá a partir das 16h30 de amanhã, quarta-feira, dia 1 de junho, na Faculdade de Educação. Haverá músicas, batuque e informação.

Os participantes demandam o preenchimento de mais de 250 vagas ociosas nas cinco creches da Universidade de São Paulo (duas no campus Butantã, uma no da Saúde Pública, uma no campus Ribeirão Preto e outra em São Carlos), o cumprimento da Lei do Profei, reposição de funcionários, entre outras reivindicações.

Mãe da Creche Central reclama do desmonte das creche na Folha de S Paulo

Uma mãe da Creche Central escreveu para o Painel do Leitor do jornal Folha de S Paulo e teve a sua carta publicada na edição de hoje, dia 25 de maio, do jornal. Ela denuncia a intenção do reitor de fechar o Programa de Educação Infantil da USP.

Leia abaixo a íntegra do que foi publicado:

GREVE NA USP

A reportagem “Professores aprovam greve, e USP já acha ‘inviável’ até reajuste de 3%” não esclarece o uso feito pelo movimento da palavra desmonte. Significa que a atual gestão não vem repondo professores de disciplinas obrigatórias nem médicos nos hospitais universitários. Proíbe ainda crianças de entrarem nas cinco creches da USP, com a simples intenção de fechá-las.

ISABELLE C. SOMMA DE CASTRO (São Paulo, SP)”

Veja abaixo o link do Painel do Leitor de hoje:

http://www1.folha.uol.com.br/paineldoleitor/2016/05/1774707-sao-muitas-as-raposas-oportunistas-diz-leitor-sobre-gravacoes-de-juca.shtml

 

Ciranda na FFLCH expõe tentativa de fechamento das creches

A comunidade de famílias e funcionários das Creches-Pré-Escolas da USP realizou uma intervenção na noite de ontem, segunda-feira 23, nos três prédios da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH).

O objetivo foi divulgar a tentativa da atual gestão da USP de acabar com o Projeto de Educação Infantil da universidade, que tem mais de 30 anos.

Atualmente, as creches trabalham com um contingente de professores e funcionários que poderia estar atendendo o dobro das crianças que são atualmente atendidas. Desde 2015, o atual reitor não permite que as vagas ociosas sejam preenchidas, o que demonstra uma clara intenção de fechá-las em breve.

Os participantes saíram da Creche Central em comitiva, pegaram o circular e desceram no prédio da História e Geografia. Ali, uma grande ciranda foi realizada com a adesão de estudantes e professores da unidade. Crianças matriculadas nas creches e da demanda também participaram. Além disso, através de um jogral, funcionárias, crianças, pais e mães puderam explicitar a situação.Ciranda FFLCH

Ato em defesa das Creches da USP, às 11h desta terça (17/5)

Famílias, professorxs, funcionárixs, especialistas e simpatizantes farão ato em defesa das Creches/Pré-escolas da USP diante da Creche Central, no campus Butantã, nesta terça-feira (17/5), a partir das 11h.

O encontro está em sintonia com a luta contra o desmonte da Universidade de São Paulo, que mobiliza a comunidade uspiana. Na ocasião, haverá um balanço das ações já promovidas em defesa das creches e discussão de novas ações. Pela abertura imediata das vagas que a Reitoria mantém ociosas! 

Participe! Venha conhecer mais sobre o Programa de Educação Infantil da USP e de tudo que representa em termos de ensino, pesquisa e extensão.

Traga sua solidariedade, mostre sua indignação e se mobilize para salvar as Creches da USP, referência em educação infantil para as redes públicas de todo o país!

A Creche Central fica na av. da Universidade, 200, Cidade Universitária.

USP terá prejuízo de 1,2 milhão até o final de 2016 com vagas ociosas nas creches

Membros da Comissão de Mobilização das Creches e simpatizantes da Educação Infantil realizaram um estudo que comprova prejuízo financeiro com a proibição da entrada de novas crianças desde 2015 nas Creches/Pré-Escolas da USP para a própria Universidade.

“Com o impedimento da entrada de novos alunos para preencher as vagas ociosas, a universidade aumentará em R$ 1,2 milhão o gasto com auxílio-creche para servidores docentes e não-docentes somente entre 2015 e 2016. Outros setores da universidade, como o Serviço de Comunicação Social, por exemplo, despendem mais recursos e possuem menos funcionários dos que esses estabelecimentos de ensino, pesquisa e extensão de Educação Infantil”, afirma o documento.

As creches poderiam receber 463 crianças em 2016, mas com o fechamento das vagas estão atendendo somente 323. Em 2007, havia 722 crianças matriculadas nas cinco creches, ou seja, em m 2016, o atendimento caiu para 55% da capacidade de nove anos atrás.

Ainda de acordo com o estudo, o gasto com as Creches/Pré-Escolas com custeio será de somente R$ 1,5 milhão em 2016, ou seja, 0,03% do Orçamento da universidade.

Além de atender crianças de servidores, docentes e alunos, esses estabelecimentos de ensino são campo para pesquisa e estágio. De 2009 a 2014 foram realizados mais de 280 trabalhos de pesquisa nas Creches, que resultaram em TCCs, dissertações de mestrado e teses de doutoramento. Houve formação de 681 estagiários e foram recebidas 6.632 visitas monitoradas de educadores de instituições de ensino de todo o Brasil e do exterior.

Conheça o estudo no link abaixo:

Artigo Creches_Final