‘Arraiato’ reúne comunidade de creches da USP com festa e protesto

Funcionários, pais, mães e crianças da Creche/Pré-Escola Central da USP convidam toda a comunidade uspiana para o Arraiato (arraial + ato) que será realizado amanhã, quinta-feira, dia 23 de junho, entre 15h30 e 17h30. O local é o estacionamento da creche, que fica na avenida da Universidade, 200.

A festa junina, que geralmente acontece nas dependências da creche, neste ano será realizada na parte de fora. A decisão se deu para que a comunidade uspiana conheça o trabalho desenvolvido pela creche e para que possamos protestar contra a ação sorrateira da Reitoria de extinguir o Projeto de Educação Básica da USP, que tem mais de 30 anos.

 

Participe dos atos pelas creches nesta semana

Famílias de crianças matriculadas e não-matriculadas nas creches/pré-escolas da USP, funcionários e demais simpatizantes promovem novamente mais atos pela manutenção do Programa de Educação Básica na USP nesta semana.
Convidamos todxs a participarem:
SEGUNDA-FEIRA
20 de junho
CIRANDA DAS CRECHES CONTRA A REPRESSÃO
A partir das 16:15h – piquenique em frente à Reitoria
17h – Ciranda
TERÇA-FEIRA
 21 de junho
CIRANDAS DAS CRECHES NA POLI
A partir das 11:15h – piquenique entre o Grêmio Politécnico e o ponto de ônibus
12h – Ciranda em frente ao restaurante da Civil
PLENÁRIA
16h – Plenária de trabalhadores e estudantes no Sintusp
QUARTA-FEIRA
22 DE JUNHO
ATO UNIFICADO
12h – Funcionários, estudantes e professores fazem Ato Conjunto em frente à reitoria pela negociação da pauta unificada que será entregue ao reitor
durante o ato

Antropólogo ministra nova aula aberta segunda na Creche Oeste

AULA GREVE 13.06.16

O professor Danilo Ramos ministrará nova aula aberta “Davi Kopenawa – memória, política e xamanismo”, que faz parte de uma disciplina de pós-graduação do Departamento de Antropologia da USP.

Desta vez, será na próxima segunda-feira, dia 13 de junho, a partir das 14h, em frente à Creche Oeste. Também está prevista uma visita guiada e discussões sobre o desmonte do Projeto de Educação Infantil da USP.

No dia 6 de junho, Ramos ministrou aula aberta em frente à Creche Central. Houve a participação de cerca de trinta pós-graduandos e estudantes de graduação, que refletiram sobre as palavras políticas e xamânicas do grande líder indígena Davi Yanomami.

Também foi realizada uma vista guiada pela Creche Central e uma roda de conversa sobre a greve e a luta em defesa das creches da USP.

A atividade de greve do curso ‘A escrita etnográfica em questão’ contou com a participação da comissão de mobilização das creches, de professores e de funcionários da Creche Central.

Cesar Minto, da Adusp, cita creches e desmente Folha sobre greve

Cesar Minto, professor da Faculdade de Educação da USP e presidente da Adusp, publicou hoje, dia 8 de junho, um artigo em que rebate um editorial da Folha de S. Paulo sobre a greve no próprio jornal.

Ele afirma que a greve não tem como único objetivo ganhos salariais, mas o fim do desmonte das Creches/Pré-Escolas da USP, Escola de Aplicação e Hospital Universitário, além da reposição de professores e funcionários que se aposentaram ou deixaram a universidade.

Minto cita ainda a falta de repasse de verbas prometidas pelo governo do Estado assim como o não aumento do percentual de repasse, apesar do aumento expressivo de alunos e campi.

A crise em que a USP se encontra, portanto, teria como principais responsáveis o governador e o atual reitor, Marco Antonio Zago. Zago realizou o desastroso Programa de Demissão Voluntária em 2014, que desfalcou a universidade de 1.400 trabalhadores e queimou R$ 280 milhões em reservas.

Leia o artigo completo no link abaixo:

http://www1.folha.uol.com.br/opiniao/2016/06/1779335-greve-na-usp-e-o-bunker-de-chumbo.shtml

É AMANHÃ: Ato em defesa da educação básica na USP

Nesta quarta-feira, dia 8 de junho, estudantes e suas famílias, além de funcionários da Escola de Aplicação e das Creches/Pré-Escolas da USP, promovem um protesto pela manutenção do Projeto de Educação Básica na USP, que tem mais de 30 anos, no campus Butantã.

A concentração começa às 10h na Escola de Aplicação e às 11h na Creche Central.

Esses estabelecimentos de ensino, que fazem parte de um contexto de pesquisa, ensino e extensão em educação básica dentro da USP, estão sendo esvaziados de professores e funcionários. Além de não repor estes profissionais, o atual reitor proibiu novas matrículas, mesmo havendo várias vagas ociosas nas creches.

Esta é uma clara tentativa de acabar com o projeto de Educação Básica na universidade de forma sorrateira, sem que seja feita qualquer discussão com a comunidade. Exigimos honestidade e transparência da gestão da coisa pública!