Comunidade uspiana tem demanda de pelo menos 303 vagas em creches

 

De acordo com dois levantamentos independentes realizados pela Associação de Pais e Funcionários da Creche/Pré-Escola Oeste (Apef-Oeste) em 2015 e 2016, pelo menos 303 crianças estão aptas a frequentar as cinco creches administradas pela Superintendência de Assistência Social (SAS) nos quatro campi da USP. Os dados foram analisados por integrantes da Comissão de Mobilização das Creches da USP.

A pesquisa demonstra que mesmo com o preenchimento das 157 vagas que estarão disponíveis e ociosas nas cinco creches/pré-escolas da USP no ano letivo de 2017, ainda haveria um déficit de 146 vagas. Uma decisão do Conselho Universitário no início de novembro obriga a universidade a preencher essas vagas ociosas, o que reverteria em uma economia de mais de R$ 700 mil aos cofres da universidade somente em 2017.

Os formulários online formulados pela Apef-Oeste foram preenchidos por 277 pessoas aptas a entrarem na seleção socioeconômica realizada anualmente até 2014 pela SAS. Aqueles que não se adequavam ao perfil, ou seja, não tinham vínculos com a USP, não foram incluídos nos dados divulgados.

Do total de pessoas inscritas nos dois anos, 34 se identificaram como sendo docentes, 129 como funcionários e 114 como estudantes da USP. Entre elas, 45 têm interesse em vagas da creche de Ribeirão Preto, 34 de São Carlos e 198 nos dois campi de São Paulo (Saúde Pública e Butantã).

As 303 crianças foram divididas por faixa etária: 50 crianças são nascidas ou deverão nascer entre abril de 2016 e março de 2017, 96 crianças nasceram entre abril 2015 e março de 2016, 74 nasceram entre abril de 2014 e março de 2015, 50 nasceram entre abril de 2013 e março de 2014,17 nasceram entre abril de 2012 e março de 2013 e 14 entre abril de 2011 e março de 2012. Duas crianças não tiveram suas idades informadas.

O levantamento tem o objetivo de verificar a demanda que há entre aqueles que têm vínculo com a USP pelo atendimento de crianças em idade pré-escolar. Como não foi feita em canais da própria universidade, a Comissão de Creches Mobilizadas acredita que a demanda é maior do que a apurada.

 

Anúncios

Creches terão 157 vagas ociosas em 2017; esvaziamento custará R$ 717 mil à USP

Levantamento realizado junto a integrantes das Associações de Pais e Funcionários (Apefs) das cinco creches/pré-escolas da USP administradas pela SAS revela que há pelo menos 157 vagas ociosas disponíveis para o ano letivo de 2017.

Isso significa que se não forem preenchidas, estas 157 vagas provocarão novo rombo nos cofres da USP, que deverá gastar aproximadamente R$ 717 mil em 2017 com o pagamento de auxílio-creche a funcionários docentes e não-docentes. Se todas as vagas forem preenchidas, nenhum custo a mais incidirá sobre o Orçamento da universidade, que já dispõe de espaço físico, educadores e verba de custeio previstos para 2017.

Somando-se a estimativa do que foi gasto em 2015 e 2016 com auxílio-creche sem necessidade, mais o previsto em 2017, a gestão temerária do reitor Zago terá jogado no lixo R$ 2 milhões em três anos. Com esse valor, por exemplo, é possível comprar 60 automóveis populares (modelo Fiat Palio) ao valor de R$ 33.110,00.

A seleção socioeconômica realizada pela SAS até 2014 reservava 20% das vagas para filhos de docentes e 40% para filhos de servidores não-docentes. Portanto, 94 vagas (60%), dessas 157 ociosas, seriam ocupadas por eles. As demais 63 vagas (40% do total) seriam direcionadas a filhos de alunos, como parte da política de auxílio à Permanência Estudantil, conforme consta nos manuais do candidato editados pela Fuvest.

Portanto, ao fornecer vagas em estabelecimentos de Educação Infantil a 94 crianças, filhas de funcionários que têm direito a auxílio-creche mensal de R$ 633,87 até que as crianças completem 6 anos, a USP deixaria de gastar R$ 717 mil ao longo de 2017, montante que faz muita falta em tempos de crise financeira.

O PIDV agrava ainda mais esse quadro. Com o programa, a maior de todas as creches, a Central, vai perder pouco mais de 10 funcionários. Com 34 anos de existência, a creche Central chegou a abrigar mais de 200 crianças. Em 2017, atenderá somente metade desse número e terá apenas 42 vagas ociosas e disponíveis para novas crianças.

A creche Oeste, que poderá receber 37 crianças, teria condições de atender ainda mais, especialmente bebês, se tivesse uma lactarista. A última funcionária que ocupava o cargo aderiu ao PIDV 1 e sua vaga não foi reposta.

A creche Saúde, localizada no campus da Saúde Pública, na avenida Dr. Arnaldo, pode atender 30 novas crianças. Duas já foram matriculadas, pois são irmãs de crianças que já são atendidas na unidade e, por isso, têm direito automático à matrícula. Portanto, ainda há 28 vagas a serem preenchidas.

A creche Carochinha, no campus de Ribeirão Preto, uma das principais referências nacionais em Educação Infantil, pode atender em 2017 20 novas crianças.

Em São Carlos, podem ser atendidas 30 novas crianças. Houve apenas uma adesão ao PIDV 2 e o horário de atendimento deverá ser diminuído.

 

 

É HOJE: ato na Reitoria pelo preenchimento já das vagas ociosas das creches

Nesta quinta-feira (24/11), das 14h às 18h, estudantes, funcionários docentes e não docentes e simpatizantes do movimento contra o desmonte das Creches/Pré-escolas da USP farão ato pelo preenchimento imediato das vagas ociosas das cinco unidades do Programa de Educação Infantil da universidade. A iniciativa é da Comissão de Mobilização das Creches e de estudantes do Instituto de Psicologia.

No último dia 8, o Conselho Universitário (CO) determinou que a Reitoria preencha essas vagas, ao aprovar uma emenda aditiva ao orçamento. Há centenas de famílias já catalogadas pelo movimento na fila por uma vaga, mas até agora a Reitoria não determinou a abertura do processo de seleção e matrícula. Por iniciativa do reitor Marco Antônio Zago, desde 2014 as creches não repõem as crianças que seguem para o Ensino Fundamental.

No ato de hoje, em frente à Reitoria, no campus Butantã, haverá das 14h às 17h uma roda de conversa sobre Maternidade/Paternidade e Universidade; das 17h às 18h, adultos e crianças irão se integrar em uma Ciranda e em Brincadeiras Musicais.

Estudantes de pós, votem hoje em representantes pró-creches

A representação dos estudantes de pós-graduação nos conselhos centrais da USP, inclusive o Conselho Universitário (CO), está sendo renovada. A eleição é hoje (24/11), das 9h às 18h, por meio eletrônico – os matriculados receberam, via e-mail institucional, senha para votação.

A emenda ao orçamento 2017 que foi aprovada e determinou o preenchimento das vagas ociosas das creches foi apresentada ao CO por integrantes da chapa Pós Ativa, Voz Ativa, em ação articulada com o Sintusp e a Adusp. Na ocasião, houve representantes discentes ausentes e um dos representantes da graduação – Daniel Guinezi, da FEA – deixou de votar a favor das creches, escolhendo se abster.

O movimento das Creches/Pré-escolas alerta as pós-graduandas e os pós-graduandos para que votem em candidatos que têm compromisso com a universidade pública, com a luta contra o desmonte da USP e, em especial, com a defesa das creches.

O momento é decisivo, porque o Conselho Universitário acaba de determinar que a Reitoria preencha as vagas ociosas das creches, mas a medida ainda não começou a ser implementada. Desde 2014 não são aceitas crianças para repor as que deixam o Programa de Educação Infantil da USP para seguir para o Ensino Fundamental.

 

DENÚNCIA: SAS tenta tirar direito de alunos a creches em seu site

A Superintendência de Assistência Social (SAS) retirou do texto de seu site sobre a Divisão de Creches as palavras “alunos de pós-graduação”. Isso representa uma tentativa desesperada de deixar de oferecer vagas aos filhos dos alunos de pós, assim como fez em novembro do ano passado com os alunos da graduação, sem nenhuma consulta ou informação prévia à comunidade uspiana.

Em novembro de 2015, a SAS acrescentou ao texto de sua página que descreve os beneficiários das creches/pré-escolas da USP a expressão “pós-graduação” após a palavra “alunos”. A falta da preposição “de” antes da expressão “pós-graduação” já demonstrava a correria e o amadorismo envolvidos na iniciativa do órgão da Reitoria.

A gestão Marco Antônio Zago tem tentado extinguir o direito adquirido há mais de três décadas de todos os alunos selecionados terem seus filhos matriculados nas cinco creches administradas pela SAS, passando por cima de todas as instâncias de decisão da universidade.

A recente desonestidade da SAS foi mais uma vez mal feita: até a vírgula não foi retirada do texto. No momento, a redação é a seguinte: “A Divisão de Creches tem como objetivo atender gratuitamente as crianças filhas de funcionários, (sic) docentes da Universidade, contemplando as necessidades de desenvolvimento intelectual e o acesso ao saber, bem como o direito à socialização, às vivências infantis e aos cuidados assistenciais específicos e necessários”.

A gestão da maior universidade da América Latina vem agindo há dois anos de forma desonesta com a comunidade, em claros ataques à democracia, aos direitos adquiridos e às regras básicas do direito público na questão das creches.

Hoje, 21 de novembro, um grupo formado principalmente por alunos foi à sede da SAS. O grupo, acompanhado por membros da Apef-Central e da Comissão de Mobilização das Creches, pediu a reabertura da seleção socioeconômica que ocorreu até 2014. Desde então, apesar de nenhum comunicado por escrito, a SAS vem se negando a retomar a seleção, deixando dezenas de vagas ociosas e desperdiçando dinheiro público.

Veja o site da SAS: http://www.usp.br/coseas/COSEASHP/COSEAS2010_DC.html

Leia a reportagem de nosso blog realizada em 2015 sobre a retirada dos alunos de graduação do site:

https://crechecentraluspcom.wordpress.com/2015/11/13/sas-tira-sorrateiramente-o-direito-a-creches-de-alunos-da-graduacao/

Correção: informamos anteriormente neste post que a retirada das palavras “pós-graduação” foi feita recentemente, mas isso ocorreu há alguns meses.

Creche Central recebe apresentação de violino e mães sem creche

 

demanda

violino

Na manhã de hoje, pais, mães e funcionários da Creche e Pré-Escola Central realizaram um café da manhã em apoio à decisão do CO de ocupar as vagas ociosas nas cinco creches da USP administradas pela Superintendência de Assistência Social (SAS).

Somente entre 2015 e 2016, a USP gastou desnecessariamente R$ 1,2 milhão em auxílio-creche apesar de haver vagas sobrando em suas cinco creches.

Além do café da manhã, a comunidade pode assistir à apresentação de violino de Ana Clara, 11 anos, ex-aluna da creche Central e irmã de uma aluna. Ana Clara tocou de Beatles a Bach.

A creche também recebeu a visita de mães e pais “da demanda”, grupo que tem direito a participar da seleção socioeconômica realizada pela SAS anualmente até 2014, quando foi subitamente interrompida.

O grupo, assim como as Associações de Pais e Funcionários das Creches/Pré-Escolas da USP e a comunidade uspiana em geral, como ficou provado pela votação no CO, exige a reabertura imediata da seleção para o preenchimento das vagas ociosas na creches em 2017.

A programação continua até quinta-feira:

 

22/11 – Terça-feira

8h-10h: Oficina

10h-18h: BazATO – bazar com itens doados pela comunidade

17h40-18h30: Apresentação da Banda Sarrabulho

 

23/11 – Quarta-feira

8h-10h: Oficina 

10h-18h: BazATO

17h40-18h30: Roda de histórias Africanas com a ONG África do coração

 

24/11 Quinta-feira

14h-18h: ATO PELO PREENCHIMENTO DAS VAGAS OCIOSAS NAS CRECHES: pela abertura do processo seletivo e efetivação das matrículas em frente à Reitoria:

14h-17h: Roda de conversa: Maternidade/Paternidade e Universidade

17h-18h: Ciranda e Brincadeiras Musicais

 

 

Creche Central terá atos em prol da reabertura de vagas

A  Associação de Pais e Funcionários (Apef) da Creche e Pré-Escola Central, no campus Butantã, convida a comunidade para participar de atos pelo preenchimento das estimadas mais de 100 vagas ociosas nas cinco creches/pré-escolas da USP. Os eventos acontecem de 21 a 24 de novembro.

Veja abaixo a programação, que inclui visitas guiadas, oficinas, bazar e show. As atividades serão realizadas em frente à Creche Central, localizada na avenida da Universidade, 200, campus Butantã.

 

PROGRAMAÇÃO (aberta à comunidade, demanda e demais interessados)

 

21/11 – Segunda-feira

7h-10h: Café da manhã coletivo – tragam seus lanches para compartilhar.

10h30: Visita guiada na Creche Central, aberta às famílias da demanda e agregados

 

22/11 – Terça-feira

8h-10h: Oficina

10h-18h: BazATO – bazar com itens doados pela comunidade

17h40-18h30: Apresentação da Banda Sarrabulho

 

23/11 – Quarta-feira

8h-10h: Oficina 

10h-18h: BazATO

17h40-18h30: Roda de histórias Africanas com a ONG África do coração

 

24/11 Quinta-feira

14h-18h: ATO PELO PREENCHIMENTO DAS VAGAS OCIOSAS NAS CRECHES: pela abertura do processo seletivo e efetivação das matrículas em frente à Reitoria:

14h-17h: Roda de conversa: Maternidade/ Paternidade e Universidade

17h-18h: Ciranda e Brincadeiras Musicais